Sistema Integrado

Dados do setor

Souza Cruz 2015

  •  27 mil produtores parceiros;
  •  Mais de 300 mil pontos de venda direta;
  •  6,6 mil empregos diretos;
  •  240 mil empregos gerados na cadeia produtiva;
  •  108,6 mil toneladas de fumo foram exportadas para os cinco continentes em 2014;
  •  78,4% de participação no mercado.

 

 Mais de R$ 10 bilhões de tributos recolhidos, posicionando a Souza Cruz entre as 10 maiores contibuintes do país.

 

Fonte: Site Souza Cruz

Importância Sócio-Econômica do Setor:

  •  574 municípios envolvidos na produção de tabaco no sul do Brasil;
  •  154 mil produtores integrados;
  •  576 mil pessoas participam desse ciclo produtivo no meio rural;
  •  Cultivado em 293 mil hectares, na safra 2015/2016 a produção alcançou 539 mil toneladas;
  •  Receita anual bruta de R$ 5,2 bilhões;
  •  514 mil toneladas de fumo foram exportadas em 2015 na região Sul do Brasil;
  •  R$  13,2 bilhoes de impostos arrecadados anualmente;
  •  40 mil empregos diretos nas empresas do setor instaladas no País.

 

Em 2015, as exportações do setor alcançaram 517 mil toneladas, sendo 514 mil toneladas produzidas no Sul do Brasil.

Fonte: Sinditabaco Safra 2015/2016

 

Propriedade diversificada

O tabaco é atualmente a mais importante cultura agrícola não-alimentícia do planeta e contribui substancialmente para a economia de mais de 150 países. Embora apenas 0,3% da área cultivável do mundo seja utilizada pelas plantações de tabaco, ele é um importante elemento na agroindústria de muitos países e cria mais empregos por hectare cultivado do que qualquer outra cultura.

Presente em 574 municípios do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, o tabaco é cultivado em 293 mil hectares, por 144 mil produtores integrados.

O cultivo de tabaco no Brasil tem como base as pequenas propriedades, em média com 15,2 hectares, sendo que destes, apenas 16,6% são dedicados à produção. Apesar da pequena lavoura plantada, o cultivo representa 47,9% da renda familiar dos agricultores (dados da Associação dos Fumicultores do Brasil – Afubra).

Ciente desse perfil, há décadas as indústrias de beneficiamento de tabaco incentivam os produtores a diversificar suas atividades, justamente para que não dependam exclusivamente de uma cultura.

 

Fonte: Sinditabaco e Site Souza Cruz

Exportações

O Brasil é o segundo maior produtor de fumo do mundo e líder nas exportações mundiais desde 1993, graças à qualidade, integridade e sustentabilidade do tabaco brasileiro.

Em 2015, o tabaco representou 1,14% do total das exportações brasileiras, com US$ 2,19 bilhões embarcados. Da produção de 539 mil toneladas registrada na safra 2015/16, mais de 85% foi destinada ao mercado externo.

O principal mercado brasileiro neste período foi a União Europeia com 43% do total dos embarques de 2015, seguida pelo Extremo Oriente (25%), América do Norte (11%), Leste Europeu (8%), África/Oriente Médio (7%) e América Latina (6%).

Para o Sul do país, a cultura é uma das atividades agroindustriais mais significativas. No Rio Grande do Sul, a participação do tabaco representou 9,2% no total das exportações; em Santa Catarina, 7,1%.

Fonte: Sinditabaco 2015