Notícias

Trigo: Estados do sul ainda no aguardo

11.09.2020
A indefinição da safra gaúcha de trigo está retirando as ofertas e deixando os compradores com mais cautela antes de colocarem ordens de compra, principalmente de safra nova, segundo informou a T&F Consultoria Agroeconômica. A principal preocupação é com a qualidade. 
 
“Muito embora se possa aplicar descontos sobre a qualidade, não é isto que o mercado quer: ele precisa de trigo de qualidade. Com isso não há cotações firmes no mercado. Teoricamente,  o preço valeria R$ 1.000,00/tonelada no porto, para dezembro próximo, o que significaria R$ 980/t no interior ou R$ 59,00/saca nas cooperativas ou cerealistas, que poderiam pagar algo ao redor de R$ 53,00/saca para o agricultor, contra os atuais R$ 58,00 de média estadual”, comenta. 
 
Os moinhos de Santa Catarina continuam atentos à disponibilidade de trigo novo no Paraná. “Houve algumas tentativas de negócios neste sentido. As pedidas recebidas pelos moinhos catarinenses foram de R$ 1.180,00, com pagamento sobre rodas no norte do Paraná e de R$ 1.200,00/t no Sudoeste do Paraná, ambos para trigo novo, mas considerados muito altos”, completa. 
 
Já no Paraná, os preços de safra nova se encontram com ofertas entre R$ 1.150,00 e R$ 1.200,00, com compradores a R$ 1.000,00/t. “As cotações do trigo novo continuaram a R$ 1.150,00/tonelada, para setembro, depois da informação de que a safra ainda será bem maior do que a do ano passado. A cotação para outubro ficou inalterada em R$ 1.100,00, mas a cotação de novembro subiu R$ 50,00/tonelada para R$ 1.000,00/t”, informa. 
 
Os preços finais do trigo argentino posto nos moinhos do Sul do Brasil fecharam em baixa nesta quarta-feira nos valores CIF. “Nos moinhos do Rio Grande do Sul e do Paraná, por via marítima (portos de Rio Grande e Paranaguá), atingirem cerca de R$ 1.475,70”, concluí. 
 
Fonte: Agrolink