Notícias

Rotação de Culturas

30.04.2020

De fato, um dos assuntos que acompanham, há tempos, os produtores de tabaco é a busca por culturas que auxiliem na complementação da renda e a manutenção de suas propriedades. Graças a isso, a rotação de culturas conquistou espaço e tornou-se praticamente indispensável para a subsistência das famílias. 

O cultivo nas áreas onde foi colhido o tabaco apresenta benefícios como a proteção do solo e redução de pressão de pragas e doenças. No caso do milho e do feijão, as culturas proporcionam uma segurança alimentar para as famílias rurais, já que grande parte do milho é destinada para grãos, buscando a formação da proteína animal. Além disso, uma parte é destinada para silagem, que é utilizada basicamente no período em que não há a disponibilidade de pastagem. O feijão também tem a sua importância quando se fala em segurança alimentar para que a família tenha a proteína vegetal para consumo.

A Souza Cruz ressalta a importância de manter um controle financeiro de cada uma das culturas produzidas durante a produção, pois é importante entendermos que a diversificação é muito importante, mas precisa ser viável. Há seis anos, a partir dos conhecimentos adquiridos do Propriedade Sustentável, a família de Aleixo Wasiak passou a fazer os controles financeiros da propriedade e planejar os investimentos:

A propriedade das famílias Sell e Klug, localizada em Herval, no município gaúcho de Canguçu, também é bem aproveitada. Nas terras férteis são produzidos tabaco, soja, milho, pastagem, cobertura verde, reflorestamento e tudo mais que a família consome na sua alimentação.

Por fim, é importante ressaltar que para a produção destas culturas, é imprescindível manter o cuidado com o solo, afinal, ele é o principal insumo para qualquer que seja a cultura plantada em uma propriedade.