Notícias

Programa Nós por Elas valoriza as filhas do campo

19.08.2020

Ainda que a tecnologia digital já seja uma realidade no campo, as comunidades rurais têm no rádio o seu principal meio de comunicação. É através dele que jovens egressas do Programa de Aprendizagem Profissional Rural do Instituto Crescer Legal têm levado ao conhecimento dos produtores temas que necessitam conscientização, como o combate ao trabalho infantil e a importância das mulheres na sociedade.

O Programa Nós por Elas – A Voz Feminina do Campo, foi criado em 2017 pelo Instituto com o objetivo de valorizar e desenvolver as filhas de produtores após a participação no Programa de Aprendizagem. A ideia é estimular a reflexão sobre a questão de gênero, promover a troca de experiências, capacitando as adolescentes na área da comunicação, como multiplicadoras de conhecimento adquirido para a comunidade.

Os boletins produzidos pelas jovens são veiculados nos programas de rádio semanais de entidades parceiras do Instituto como Afubra, Sindicatos Rurais e dos Trabalhadores Rurais. Além disso, alguns programas são disponibilizados via agência de notícias RadioWeb em parceria com o SindiTabaco e estão disponíveis para download no site do Instituto Crescer Legal (http://crescerlegal.com.br/instituto/programa-nos-por-elas-a-voz-feminina-do-campo/).

Apesar da pandemia de Covid-19, foi desenvolvida este ano uma edição especial de boletins do Nós por Elas. Porém, o formato do programa foi adaptado devido às recomendações de saúde. Jovens que já participaram em edições anteriores serão voluntárias e terão encontros virtuais com a mediação de profissionais do Instituto e dos cursos de Comunicação da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) para elaboração dos roteiros e gravações.

“O programa está consolidado, tanto na geração de conteúdos relevantes a partir da reflexão conjunta das jovens, bem como na parceria com a Unisc e com as entidades que veiculam os boletins, mas nesse ano atípico algumas modificações na execução do programa foram necessárias”, explica a gerente do Instituto Crescer Legal, Nádia Fengler Solf. Disponibilizar o conteúdo em novas plataformas digitais também deverá ser uma das novidades.

CRESCER LEGAL – O Instituto Crescer Legal, iniciativa do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) e suas empresas associadas, completou cinco anos em 2020. Criado com o apoio e adesão de pessoas envolvidas com a educação e com o combate ao trabalho infantil, em especial em áreas com plantio de tabaco na Região Sul do País, o Instituto já formou 333 jovens em seu curso de Empreendedorismo e Gestão Rural. Atualmente, 140 jovens aprendizes participam do Programa de Aprendizagem Profissional Rural.

Programa nasceu em 2017

De acordo com a gerente, quando o Instituto tomou forma, em 2015, já estava nos planos uma ação que valorizasse as mulheres no campo. “Queríamos proporcionar conhecimento às comunidades sobre temas que necessitam conscientização dos produtores e das comunidades”, argumenta. Entre 2016 e 2017, com a consolidação do primeiro grande projeto do Instituto – o Programa de Aprendizagem Profissional Rural –, as atenções se voltaram para a elaboração da nova iniciativa.

Então foi identificado que um projeto de comunicação que desse voz às jovens do campo poderia ser uma excelente oportunidade para que elas se sentissem ainda mais empoderadas. Já a produção de conteúdo de rádio contemplaria o objetivo de levar conhecimento sobre a importância das mulheres na sociedade e outros temas relevantes às comunidades rurais por meio da comunicação de jovens para jovens, de abrangendo toda a comunidade rural e demais pessoas da sociedade.