Notícias

Preparação para o mercado

11.01.2021

A cura do tabaco é uma fase de suma importância. Mas, depois dela, é importante manter o foco de uma produção qualificada e preparar o tabaco da melhor forma para o mercado.

Neste sentido, os clientes e a legislação de cada país possuem requisitos específicos, com alto nível de controle e fiscalização. Independentemente deles, a exigência comum a todos está relacionada à qualidade do tabaco, a qual inicia ainda na casa dos produtores.

 É fundamental que se tenha um bom planejamento de safra, realizando as etapas no período correto como a semeação, a capação, a colheita e o cuidado especial no momento da cura.

Além disso, garantir a boa separação do tabaco, utilizando a mesa de separação com luminária, mantendo o paiol fechado e forrando o piso com lona preta, por exemplo, auxilia na efetividade da eliminação de qualquer material estranho nos fardos, entregando produtos de excelência. Se quiser conhecer mais sobre a importância do Tabaco Limpo, clique aqui e confira o material do SindiTabaco.  

Ao chegar na empresa, os fardos de tabaco são sistematicamente abertos para inspeção e checagem minuciosa referente a material estranho.  Por isso, fique atento a alguns pontos com relação a limpeza do tabaco e a sua avaliação na empresa:

 

Também é importante estar atento aos cuidados que se deve ter com a umidade do tabaco e a sua correta armazenagem. No caso do Virgínia, faça a separação por posição e cor, e depois de realizar o enfardamento, logo faça o envio para a empresa.

Já para o tabaco Burley, a orientação muda um pouco, pois pode-se manter os fardos no paiol sobre pallets (tablado) de madeira não tratada e cobertos até o momento do transporte, que deve ocorrer assim que possível.