Notícias

Orgulho de viver da terra

05.07.2021

Sandro lembra que esteve no 7º Batalhão de Infantaria Blindado (7º BIB) por dois anos e chegou a pensar numa carreira militar. “Como eu tenho o ensino médio completo, tive a oportunidade de estudar para me tornar um oficial, mas optei por voltar para a agricultura”. Hoje, o produtor não troca a vida no campo por nenhuma outra. “Tenho muito orgulho de viver da agricultura, aqui tudo é mais saudável, o que produzimos, e a água, que tem uma pureza fora do comum”.

Suzete é agente de saúde da Prefeitura de Jaguari, mas é na lida na terra que mais se realiza.

Trabalhar na agricultura e produzir a própria subsistência também é motivo de alegria para Suzete. “É muito gratificante poder tirar o nosso sustento da terra”.

Os produtores de Jaguari, tem duas filhas, Laisa, 9 anos, e Ana Lara, 2 anos. Para as meninas, eles planejam proporcionar condições para que estudem, mas sonham que as meninas optem por dar continuidade ao legado dos pais e avós.

 

 

A Safra 2021/2022 será a sexta como produtores integrados à BAT Brasil. Nesse período, Sandro fez vários investimentos como o Canteiro Padrão e Galpão Padrão. Porém, ele revela que o maior investimento tem sido no cuidado com a terra. “Tenho feito análise de solo, correção com calcário, montado Camalhão Alto de Base Larga e usado cobertura verde, o que está tornando a terra cada vez mais saudável”, argumenta. A cobertura verde de inverno é com aveia e centeio, enquanto no verão, utiliza milheto e crotalária.

Para ele, viver e trabalhar numa propriedade rural também tem várias vantagens, mas a principal é poder ver os filhos crescerem num ambiente saudável.

Vorni segue as recomendações da empresa e está atento à evolução da tecnologia na agricultura. O cuidado com o solo está sempre entre as prioridades do produtor, que faz a análise e correção, sempre que necessário. “Aqui se faz o mapeamento de cada pedaço de terra, assim sabemos o que é preciso para melhor produzir”, explica. As lavouras já receberam adubação orgânica e a cobertura verde é com centeio no inverno e crotalária e milheto no verão.

Mas o produtor não tem a menor dúvida de que o melhor investimento foi na fertirrigação.

Neste contexto, a produção de eucaliptos na propriedade ainda garante a auto suficiência em lenha para abastecer as três estufas de ar forçado.

Além do trabalho na agricultura, Vorni também é pastor da Igreja Luterana na localidade de Freguesia, em Camaquã (RS). “Somos uma comunidade de agricultores e procuramos mostrar aos nossos produtores que fazer a terra produzir frutos depende de cada um. E quando isso ocorre, é muito gratificante”, salienta Vorni. Os dois são pais de Davi Joaquim, de 7 anos, que já mantém vínculos com a vida no campo. “Ele estuda, é um bom aluno, faz natação, mas também gosta e se sente incentivado a dar continuidade ao ofício dos pais na agricultura”.