Notícias

O cuidado com a umidade

26.03.2020

O manejo adequado em todas as etapas da produção do tabaco é fundamental para alcançar a qualidade e o rendimento máximo do tabaco, principalmente no que diz respeito a sua umidade.

O excesso de umidade no tabaco curado pode levar à deterioração qualitativa do tabaco, como, por exemplo, o aumento da proporção de tabaco escuro ou presença de mofo. A umidade do tabaco dentro dos limites acordados proporciona maior estabilidade do tabaco pós-cura, facilidade de manipulação e qualidade sensorial.

Com o objetivo de auxiliar no controle da temperatura e umidade na unidade de cura, um importante aliado dos produtores durante a cura do tabaco é o Controlador Inteligente de Cura (CIC) – um sistema que permite a regulagem automática de temperatura e umidade no interior da estufa LL.

O painel do CIC é autocontrolado pela umidade presente no tabaco, fazendo com que a condução da cura necessite o mínimo de intervenção. Ele interpreta as temperaturas do tabaco e realiza, de forma automática, os ajustes necessários da temperatura para cada fase da cura, reduzindo impactos na qualidade do produto, ocasionados por decisões equivocadas. Depois da fase da amarelação o produtor libera o aparelho e deve apenas ficar atendo ao alarme para repor a lenha na fornalha, quando necessário.

Por fim, é importante ressaltar que, com o CIC, o tabaco manterá a qualidade, desde que ele tenha sido colhido bem maduro: essa tecnologia facilita o trabalho do produtor, mas só e eficaz se a colheita acontecer no tempo certo.