Notícias

Korovai é tradição nos casamentos ucranianos

31.05.2021

Os imigrantes que vieram para colonizar o Brasil trouxeram consigo a sua cultura e as suas tradições, que foram repassadas de pais para filhos. Em Santa Catarina, o município de Santa Terezinha, hoje com cerca de 9 mil habitantes, foi colonizado por imigrantes ucranianos e poloneses.

Na localidade do Craveiro, Maria Inês Kaczan, 34 anos, cultiva as tradições ucranianas, principalmente as que fazem parte da culinária, ensinadas pela mãe, Balbina Kaczan, 70 anos. O Korovai, um grande pão doce arredondado, é uma das iguarias preparadas por elas. Mas, o Korovai não é um simples pão, ele faz parte de uma tradição ucraniana, sendo um dos elementos fundamentais nos casamentos.

“A gente chama de bolo de noivo e durante a festa de casamento, o Korovai faz parte da dança, naquela roda em torno do noivo”, explica Balbina. Após a dança, o pão é repartido entre os convidados. A matriarca comenta que a noiva também tem um bolo, mas é branco.

O pão doce pode ter, na parte superior, adornos feitos com a própria massa, em forma de lua e estrela que são representações do casal. Também podem receber outros enfeites como sóis, aves, animais, pinhas, ramos de trigo, flores e frutos. “E a gente decora com fitas, fazendo um tipo de pinheirinho”, acrescenta Maria Inês.

Seguidamente, as receitas trazidas pelos imigrantes sofrem algumas alterações, tanto pela falta de ingredientes, quanto pela fartura de outros produtos encontrados no Brasil como frutas e leite. “No caso do Korovai, a receita tinha uma laranja bem amarelinha, fervida, mas aqui foi substituída pelo leite”, comenta Maria Inês.

Na propriedade de 7,2 hectares, o casal cultiva 55 mil pés de tabaco Virgínia, assim como produz também milho e outros produtos para a subsistência da família. A propriedade é autossuficiente em lenha e conta com tecnologias como o canteiro padrão.