Notícias

Incentivo à educação na propriedade dos Lüdtke

05.07.2021

Há mais de um ano a pandemia de Covid-19 tem afetado o mundo inteiro, nas comunidades do interior não está sendo diferente. Os estudantes estavam impossibilitados de frequentar os colégios, mas lentamente alguns estabelecimentos de ensino estão retornando, com todas as regras sanitárias exigidas. Contudo, muitos pais ainda preferem manter os filhos em casa.

Esse é o caso de Flavio e Ingrid Lüdtke, que residem na localidade de Colônia Palm, em Canguçu (RS). O casal, que tem duas filhas, Karen Tais, 16 anos, e Lara Beatriz, 9 anos, entende que a saúde vem em primeiro lugar. “Elas têm aula online, estudam em casa e estão se saindo muito bem”, revela Ingrid.

Karen está no 1º ano do Ensino Médio, enquanto Lara está cursando o 4º ano do Ensino Fundamental. Ambas são alunas da Escola Estadual Professor José Veridiano Ferreira, de Canguçu (RS). De acordo com Karen, estudar de forma online tem suas vantagens. “Sempre gostei de fazer meus trabalhos em casa, tenho a oportunidade de adaptar os horários e nesse momento tenho lido outros livros, o que antes eu não fazia”. A pequena Lara também gosta de estudar em casa. “Estou indo bem e a mãe me auxilia quando preciso”, comenta.

A convivência com a família na propriedade reforça ainda mais o gosto das meninas pela vida no campo. Karen pensa em fazer um curso superior que pudesse auxiliar os pais. “Talvez uma faculdade de Agronomia ou de Administração de Empresas para poder ajudar na condução da propriedade”, argumenta. Lara sempre demonstrou interesse em permanecer na propriedade. “Desde muito pequena digo que quero ser agricultora porque gosto de tudo aqui”, afirma.

Ingrid acredita na possibilidade das filhas atuarem juntas na condução da propriedade no futuro. “A Karen é muito organizada, tem facilidade de lidar com papéis e certamente poderia gerir os negócios. Já a Lara sabe tudo que acontece aqui, de que vaca é a cria, quando nasceu, enfim, consegue ter o controle das atividades”. Mesmo sabendo que é muito cedo para decidirem suas carreiras, os pais sentem orgulho das filhas, que reconhecem a importância do trabalho da família na agricultura.

Além da dedicação ao estudo, as meninas ainda tiram tempo para a música. Com a pandemia, as aulas presenciais também não estão acontecendo, mas elas seguem praticando em casa.

“A Lara começou primeiro com a gaita, influenciada por um tio. Depois a Karen passou a tocar violão.  Nos sentimos muito gratos pelas filhas que temos”, declara Ingrid.

Além dos produtores integrados à BAT Brasil, Flavio, 40 anos, Ingrid, 35 anos, e das duas filhas, ainda vivem na propriedade de 42 hectares os pais de Ingrid, Ilvo, 59 anos, e Ivalene Karnopp, 56 anos.

Para o cultivo dos 80 mil pés de tabaco Virgínia, a família investiu na terra, com análise e correção do solo, em Canteiro Padrão e numa máquina que auxilia na colheita da folha. Charles Kroning, orientador agrícola da BAT Brasil, presta suporte técnico aos Lüdtke e conta que eles também tem Fertirrigação, uma tecnologia essencial para melhor qualidade da produção.