Notícias

Como está o panorama do milho?

21.01.2021

De acordo com a TF Agroeconômica, o estado do Rio Grande do Sul reportou rumores de recompra de contratos por quebra de safra. “Como início da colheita da safra de verão no RS as necessidades dos compradores estão aliviadas e não precisam mais elevar o preço (que já está alto) para atrair vendedores. Mas, se baixar, ninguém vende. Então, os mercados estão inalterados e devem continuar assim pelo menos até o final do mês, se não houver nenhum fato novo”, comenta. 

Em Santa Catarina, o mercado mantém a alta do dia anterior e não subiu na última terça-feira (19). “Não ouvimos negócios reportados. Os preços de compradores continuam inalterados, mas adicionando a alta da última segunda-feira (18): R$ 86,00 base Campos Novos, R$ 87,00 para cima na região de Chapecó e R$ 85,00 na região de Canoinhas. Os vendedores locais pedindo R$ 90,00/saca”, completa. 

No Paraná, os preços do milho estão inalterados na última terça-feira (19). “Preço de comprador do milho spot manteve a alta do dia anterior a R$ 82,00 nos Campos Gerais, mas poucas ofertas. Vendedor continua pedindo R$ 83,00/saca ou mais. Sem indicação nas fábricas dos Campos Gerais. Milho futuro manteve o recuo do dia anterior a R$ 80,00 em Paranaguá para fevereiro/março de 2021. Indicação de comprador manteve a cotação do dia anterior em R$ 76,00 para março/abril de 2021, posto fábrica”, indica. 

Já no Mato Grosso do Sul, foi negociado lote a R$ 82,50 para o Oeste de SC na última terça-feira (19). “Depois de vários dias sem negócios com Santa Catarina, hoje foi fechado um lote para o Oeste do estado a R$ 82,50, cerca de três reais e meio a menos do que a negócio de milho local feita no início da semana, mas no Leste do estado. O último negócio do MS tinha sido a R$ 85,00”, conclui. 

Fonte: Agrolink