Notícias

Caminho de transformações

12.02.2018
Há 22 anos, quando casou com Luciane Anacleto, 39 anos, o produtor integrado com a Souza Cruz, Valdinei Anacleto, 40 anos, recebeu de seus pais uma área de 17 hectares, localizada em Rio Glória, no município de Braço do Norte (SC).
Ele conta que na propriedade havia uma pequena casa de madeira, uma estufa convencional e um velho paiol. Na época, para dar início à produção de 1,9 hectares de tabaco, o casal comprou uma junta de bois e um arado. “Somos filhos de produtores de tabaco e já conhecíamos a cultura. Isso facilitou nosso desenvolvimento”, comenta Valdinei. Prova disso  foi que, após a primeira safra, já tiveram condições de fazer novos investimentos, como a compra de uma moto para levá-los
até a cidade quando precisavam, pois a distância de 4 quilômetros era percorrida a pé. A cada novo ano, novas conquistas foram alcançadas. A primeira delas, em 1998, quando compraram mais 5 hectares de terra. Desde então, já construíram um novo paiol e duas estufas LL; compraram um micro trator e uma carreta; anos mais tarde,  um trator e implementos; um fusca, que foi dando lugar a outros modelos de carro, até chegar ao atual, um Mitsubishi L200 zero quilômetro, e construíram uma confortável casa para eles e outra para a filha Mônica, já casada, que mora numa cidade vizinha. “Temos certeza de que, ao optarmos pelo tabaco como principal cultura, fizemos a escolha certa. Hoje, plantamos mais do que  quando começamos. Porém, por conta dos avanços tecnológicos, temos bem menos trabalho. Isso nos proporciona mais qualidade de vida”, alega o produtor. Para Luciane, tudo isso também é resultado da dedicação e da gestão que aplicam na propriedade. “Estamos orgulhosos do que conquistamos. Trabalhamos para isso”, conclui.